Tesouro fará leilões extraordinários de títulos públicos

tesouro fará leilões extraordinários de títulos públicos

Em função do coronavírus, leilão de Letras Financeiras do Tesouro Nacional foi cancelado e será remarcado

Sob coordenação do Banco Central, o Tesouro Nacional fará uma série de leilões extraordinários de compra e venda de títulos públicos até a próxima quarta-feira, dia 18. O objetivo da medida é dar suporte aos investidores em meio à tensão causada pela pandemia de coronavírus.

Leilões extraordinários do Tesouro Nacional

O Tesouro Nacional realizará os leilões de hoje (12) e ainda nos dias 13, 16, 17 e 18 de março de 2020. Já as condições das ofertas serão divulgadas no dia dos leilões.

A medida está sendo tomada em “em razão das condições vigentes no mercado financeiro”, afirma o Tesouro. Ainda em nota:

“O objetivo da atuação é fornecer suporte ao mercado de títulos públicos, garantindo bom funcionamento desse e de outros mercados correlatos.”

Cancelamento do leilão de LFTs

No mesmo comunicado foi informado sobre o cancelamento do leilão de LFTs (Letras Financeiras do Tesouro Nacional), que aconteceria nesta quinta-feira (12) e que agora será remarcado em um momento mais oportuno.

A justificativa seria em função das condições atuais do mercado. Portanto, neste caso foi melhor cancelar o evento, enquanto outros leilões de venda e compra são realizados. Sendo assim, o governo tenta conter os ânimos, principalmente, no mercado de juros, conforme nota divulgada:

“O Tesouro Nacional seguirá acompanhando a evolução das condições de mercado.”

Efeitos do coronavírus

A pandemia de coronavírus tem dominado as mesas de operações. Nesta quinta-feira (12), pouco tempo após a Bolsa brasileira abrir, o mecanismo de circuit breaker, que auxilia a brecar perdas maiores dos investidores, foi acionado duas vezes.

Tal mecanismo é utilizando no momento em que a bolsa cai 10% e os negócios são suspensos por 30 minutos. E após as quedas de 15%, é suspenso por uma hora. Nesta quinta, o índice sofreu queda de 15,43% pela manhã.

Com isso, este já é o quarto circuit breaker que acontece essa semana, decorrente da piora da percepção dos prejuízos que são gerados pelo coronavírus sobre a economia mundial.

Fonte: Folha de S. Paulo

*Foto: Divulgação