MEC não recebeu relatos de estudantes sobre erros no Enem 2019

mec não recebeu mais relatos de estudantes sobre erros no Enem 2019

Inep chegou a trabalhar com um universo de análise com registro de 100 mil provas do Enem até o fim da noite de ontem (19)

O MEC (Ministério da Educação) deixou de receber reclamações de participantes sobre as notas do Enem 2019. Pelas mídias sociais, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) divulgou que somente mensagens enviadas até  as 10h desta segunda-feira (20) serão avaliadas.  

Enem 2019

Entretanto, o novo prazo desmente a promessa de Alexandre Lopes, presidente do instituto, feita no sábado (18). Na ocasião, o governo confirmou que participantes receberam as notas erradas do Enem.

Antes, Lopes disse que todas as reclamações feitas até hoje, sem limite de horário, seriam avaliadas. Desse modo, o governo Bolsonaro pode deixar de analisar casos com inconsistências na nota. Em sua defesa, o Inep afirma que o tempo expirado hoje cedo serve para que a equipe técnica tenha “tempo hábil de fazer toda a conferência necessária até o fim do dia, quando os resultados finais serão divulgados”.

Estrago maior

Agora, o governo corre contra o tempo para tentar impedir um estrago maior com a falha no Enem. Este por sua vez insiste em manter a data de abertura das inscrições do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), prevista para amanhã (21).

O que se sabe até o momento é que os erros verificados nas notas não são limitados às provas do segundo dia de Enem, como já havia sido dito no sábado (18) pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub. O governo identificou ainda problemas nos exames do primeiro dia e expandiu as análises.

No sábado, o MEC trabalhava com a informação de que os erros poderiam atingir até 1% dos candidatos, que equivale a quase 39 mil pessoas.

Inep chegou a trabalhar com um universo de análise com registro de 100 mil provas do Enem até o fim da noite de ontem (19). Porém, este universo mudava a todo instante, de acordo com dados recebidos pela reportagem da Folha de S. Paulo, justamente porque os relatos de reclamações se avolumam.

O governo verificou tais erros a partir de relatos de participantes do Enem. Os primeiros casos vieram de Viçosa, em Minas Gerais.

Enem – inconsistências

Além disso, uma verificação tem sido realizada no banco de dados, na intenção de analisar possíveis inconsistências. No entanto, técnicos do MEC afirmam que a busca por casos individuais é o que reduz a possibilidade de notas permanecerem com equívocos.

É preciso ressaltar que a nota do Enem não depende apenas da quantidade respostas certas. Ainda é levado em consideração quais questões foram anotadas da maneira correta. Desse modo, os candidatos não têm como checar se o resultado é consistente.

De acordo com o governo, foram verificados erros na identificação dos participantes e da respectiva cor de sua prova. A falha aconteceu na gráfica, onde os arquivos com essas informações teriam chegado ao Inep com divergências, afirma o instituto.

A confusão ocorreu da seguinte forma: o participante realizou o exame de uma cor, porém a nota foi corrigida como se fosse de outra cor. O Enem 2019 foi realizado por aproximadamente 3,9 milhões de pessoas em todo o país.

Já o Sisu reúne das vagas e, instituições públicas que adotam o Enem para eleger alunos. A nota também pode ser utilizada para vagas no Programa Universidade para Todos (Prouni) e no Financiamento Estudantil (Fies).

Fonte: Folha de S. Paulo

*Foto: Divulgação