Fusão Boeing-Embraer deve ser aprovada pelo Cade em janeiro

fusão boeing-embraer deve ser aprovada pelo cade em janeiro

Fonte afirma que aprovação da fusão Boeing-Embraer deve ser autorizada mesmo pelo órgão público, sem restrições, já no mês de janeiro

A fusão Boeing-Embraer deve virar realidade a partir do mês que vem, se aprovada sem restrições significativas, pela superintendência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Quem afirmou isso foi uma fonte que está a par das discussões deste negócio. Segundo ela, que pediu anonimato, pois as discussões não são públicas, a pauta deve passar em rito sumário pela superintendência e não deve ser nem assumido pelo pleno do conselho.

Fusão Boeing-Embraer – entenda o caso

Nos Estados Unidos e na China, o acordo da Boeing-Embraer já foi aprovado pelos respectivos órgãos reguladores. O maior desafio até o momento para a joint venture é a União Europeia, local onde as autoridades antitruste suspenderam a análise da fusão em 11 de novembro, alegando que não receberam informações suficientes de ambas as empresas de jatos.

Todavia, na análise feita pelo Cade não foram encontradas evidências que pudessem gerar uma preocupação concorrencial do negócio, além de não apresentar sobreposições. As empresas possuem investimentos considerados complementares. Além disso, nenhum concorrente se colocou como terceiro interessado na fusão e também não indício entre os conselheiros que alguém possa questionar o caso.

Partidos políticos e sindicatos

Em contrapartida, a maioria das reclamações sobre a pauta foi apresentada por partidos políticos e sindicatos. Porém, a análise no conselho é direcionada em concorrência, e não em causas trabalhistas.

Há um ano, a Boeing propôs adquirir uma participação majoritária na divisão de aeronaves comerciais da Embraer. A ideia era ampliar suas operações para o mercado de aviões com 100 ssentos, meses após a Airbus assumir o controle das operações da Bombardier neste mesmo segmento.

Boeing Brasil – Commercial

A companhia de aviação comercial criada a partir da fusão Boeing-Embraer já possui nome definido e será batizado de “Boeing Brasil – Commercial”.

A Embraer divulgou em novembro que seu acordo com a Boeing deve ser concluído apenas no fim de março de 2020, já incluindo o atraso por conta da decisão da União Europeia.

No mês de abril deste ano, a Embraer anunciou o nome de Francisco Gomes Neto para presidir a área executiva da empresa, relembre o caso aqui.

Fonte: O Globo

*Foto: Divulgação / Arquivo – O Globo