Mercado Livre é a empresa mais valiosa da América Latina e supera Vale e Petrobras

O Mercado Livre é a empresa mais valiosa agora, em termos de América Latina. Sendo assim, ela acaba de ultrapassar as tradicionais companhias Vale e Petrobras, que já eram ligadas às commodities. E com isso, ela abre espaço para as empresas conectadas à tecnologia.  

Mercado Livre é a empresa mais valiosa da América Latina

No encerramento da sessão desta sexta-feira (7), a companhia de comércio eletrônico argentina registrou US$ 59,3 bilhões em valor de mercado, segundo afirmação da Economática. Em segunda posição aparece a Vale, com US$ 57,1 bilhões de capital de mercado, seguido pela Petrobras, que totalizou US$ 55,5 bilhões. Lembrando que no fim de julho, a estatal de petróleo vendeu 10% de fatia da TAG à Engie e CDPQ.

Além das companhias do setor de commodities, o Mercado Livre também é mais valioso que a America Movil (US$ 41,8 bilhões – empresa mexicana do setor de telecomunicações), e também que a Ambev (US$ 38,6 bilhões), do ramo de bebidas.

Manutenção do primeiro lugar

Contudo, a manutenção do primeiro lugar do Mercado Livre acontece mesmo antes da desvalorização de 2,13% em suas ações na sessão desta sexta na Bolsa de Nova York, aponta Maurício Pedrosa, gestor da Áfira Investimentos:

“Esse é o novo mundo, as empresas digitais vão seguir crescimento exponencial. A pandemia intensificou-se como casa doméstica, com pessoas comprando mais por canais digitais. Quem conseguiu atender a esta demanda, apresenta bons resultados mesmo grau de promoção global.”

Em termos de “big techs”, a empresa de comércio eletrônico conquista cada vez mais espaço no mercado internacional. Todavia, a Exxon Mobil, do setor de combustíveis e que por um longo período foi a maior companhia dos EUA, hoje vale US$ 183,6 bilhões, complementa Pedrosa:

“Uma diferença importante é que as empresas de tecnologia não essenciais de grandes investimentos físicos e nem de grande capital para serem geridas. Isso contribui para uma valorização robusta e constante das companhias do setor.”

Lista das companhias mais valiosas da América Latina:

  • Mercado Livre: US $ 59.352.195
  • Vale: US $ 57.186.110
  • Petrobras: US $ 55.534.568
  • Itaú Unibanco: US $ 44.584.025
  • Walmart (México): US $ 43.162.023
  • America Movil: US $ 41.809.692
  • Ambev: US $ 38.616.790
  • Bradesco: US $ 34.319.586
  • XP: US $ 26.558.150
  • Weg: US $ 26.478.977

Balanços recordes

Em contrapartida, a Apple, somente com a comercialização de iPhones, faturou US$ 26,42 bilhões de abril a junho. Isso significa US$ 4 bilhões acima do projetado, conforme dados do IBES. Ao todo, as receitas foram de US$ 59,69 bilhões, com lucro líquido de US$ 11,3 bilhões.

Já para o Facebook, as expectativas eram de queda de 3% no faturamento no segundo trimestre, em decorrência dos custos das empresas com publicidade. Porém, a companhia soube aproveitar a alta do tráfego online gerado pela pandemia. Sendo assim, ela aumentou suas receitas em 11%, para US$ 18,7 bilhões.

Além disso, seu lucro líquido praticamente dobrou, de US$ 2,6 bilhões para US$ 5,19 bilhões. No entanto, esse crescimento se deve mais às perdas em 2019, quando a empresa pagou multa de US$ 2 bilhões, vinculadas à privacidade de dados.

Por fim, a Amazon aproveitou o período de isolamento social dos consumidores para impulsionar suas vendas. A gigante do varejo online registro no segundo trimestre do ano o maior lucro em seus 26 anos de trajetória. As receitas elevaram em 40%, em comparação ao ano passado, para US$ 88,9 bilhões, com lucro líquido de US$ 5,2 bilhões, sendo o dobro do atingido em 2019.

*Foto: Divulgação

Extensão da MP 936 é sancionada por Bolsonaro

Extensão da MP 936 já era válida e agora dá aval às empresas para suspender contratos de trabalho ou praticar a redução de jornada e salário até o final deste ano

O presidente Jair Bolsonaro sancionou na segunda-feira (6) a lei que garante a redução de jornada e salário e ainda a suspensão de contratos de trabalho. A lei aguarda publicação no Diário Oficial da União.

Extensão da MP 936

A permissão sancionada pelo presidente abre um leque para a prorrogação do programa. Porém, isso tudo ainda depende de um decreto. Mas ele não deve ser publicado por enquanto, já que a equipe técnica ainda necessita de mais tempo para avaliar o texto sancionado.

O que permite a lei

Integrada à Medida Provisória 936 e aprovada pelo Congresso, a lei permite a suspensão de contratos de trabalho e a redução de jornada e salário até o final de 2020. No entanto, é o decreto a ser publicado que dará as diretrizes dos termos dessa prorrogação.

Mais dois meses

Além disso, o governo deve permitir, por mais dois meses, a suspensão de contratos e, ainda por mais um mês, a redução de jornada de trabalho. Na primeira leva, a suspensão já pode ser realizada por dois meses e a redução por três meses.

Decreto de prorrogação

Bruno Bianco, secretário Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, disse na semana passada que logo após a sanção da lei, Bolsonaro vai editar um decreto que prevê a prorrogação do programa.

Benefício Emergencial

Lançado em abril, em função da pandemia de Covid-19 no país, o programa foi intitulado Benefício Emergencial. Ele prevê que o governo arque com parte do salário suspenso ou reduzido, até o limite do seguro desemprego (R$ 1.813). Segundo dados do Ministério da Economia, mais de 12,1 milhões de acordos foram celebrados dentro do programa.

Bianco afirma que a prorrogação vai manter a exigência de que os empregos sejam preservados pelo dobro do prazo do acordo. Em suma, o empregador que suspender por mais dois meses o contrato, terá de garantir a permanência do empregado por quatro meses.

Já os empregadores que suspenderam os contratos por dois meses (prazo máximo na ocasião), têm que esperar a publicação do decreto para nova prorrogação. Porém, há a alternativa de reduzir a jornada e o salário em até 70% pelo período de um mês, e isso é permitido pela lei vigente.

MP 936

A Medida Provisória 936 foi aprovada pelo Senado no dia 17 de junho e seguiu para sanção presidencial.

De acordo com o texto, que foi encaminhado em abril e permitia a redução de jornada em 25%, 50% ou 70%, com um corte proporcional no salário, por até três meses, deverá ser prorrogado agora por mais um mês. E ainda era possível suspender o contrato por até dois meses, o que deve ser permitido no decreto por mais um mês.

*Foto: Divulgação

Como antecipar saque do auxílio ou FGTS com cartão ou boleto

As pessoas que estão recebendo o auxílio emergencial (em que até é possível realizar o cadastro via Correios) ou o FGTS emergencial, mas ainda não estão autorizados a sacar ou a transferir o valor para uma conta pessoal, pode resolver este impasse imposto pelo governo de outro jeito. Neste artigo falaremos sobre a possibilidade de antecipar saque do auxílio ou FGTS via empresas de tecnologia financeira, as fintechs. É o caso de companhias como PagBank, Nubank, Mercado Pago e PicPay.

Como antecipar saque pelas fintechs

As últimas parcelas do auxílio de R$ 600 e o FGTS (com saques de até R$ 1.045) estão sendo liberados pelo governo em duas fases. Na primeira, o dinheiro é depositado em poupança digital e fica disponível apenas para pagamento de contas e para compras com cartão virtual. Já para saques e transferências são permitidos somente na segunda fase, e isso pode demorar meses agora.

O governo e a Caixa justificam esta imposição como uma forma de evitar aglomerações nas agências bancárias. As transferências também foram proibidas na primeira fase para que os beneficiários não encaminhassem o dinheiro a outra conta na Caixa e fizessem o saque fora do cronograma.

No caso das Fintechs, estas possibilitam que o usuário utilize o aplicativo da Caixa para pagar um boleto ou realizar uma compra online. Em suma, essa alternativa nada mais é do que antecipar saque do auxílio em forma de transferência a uma conta em nome do próprio beneficiário, e o mesmo vale para o FGTS emergencial. Com isso, o usuário pode utilizar o app da fintech para fazer novas transferências ou sacar o dinheiro.

Este tipo de operação não é considerada irregular, pois o Banco Central permite fintechs a usarem boletos para depósito em contas digitais.

Como antecipar a transferência de valores do Caixa Tem em algumas fintechs

Antecipar saque pelo PagBank

Baixe o aplicativo e abra uma conta nesta fintech. Após isso, selecione na tela inicial “Adicionar dinheiro” e depois opte pelo meio de pagamento “Boleto bancário”. Na sequência, informe o valor que pretende transferir e aperte “concluir”. Por fim, pague o boleto gerado pelo app Caixa Tem. O dinheiro por boleto é transferido em até três dias.

Já pelo cartão virtual da Caixa (com transferência gratuita e saldo liberado na hora), basta seguir os seguintes passos: acesse o app do PagBank e escolher “Adicionar Dinheiro”; escolha o “Cartão de débito virtual Caixa” e em seguida “Adicionar novo cartão”, informe os dados do mesmo; o PagBank fará uma verificação de segurança com uma cobrança no cartão Elo de um valor que será estornado em até 24 horas para a conta da Caixa. Em seguida, acesse o extrato do cartão e insira um dos valores cobrados pelo PagBank. Com o cartão cadastrado, repita “Adicionar dinheiro” na tela inicial do app e escolha “Cartão de débito virtual Caixa”; selecione o cartão cadastrado e clique em “Continuar”. Depois informe o valor a ser adicionado e clique “Continuar”; confira o valor informado e clique em “Concluir”. Por fim, informe o CVV (código de segurança), pois este número muda a cada transação, em seguida acesse o app da Caixa para consultar um CVV válido.

Mercado Pago

Por esta fintech o procedimento é abrir conta pelo app do Mercado Pago e em seguida abra o app do Caixa Tem; selecione a opção “Cartão de Débito Virtual”; copie os dados do cartão e gere um código de segurança a cada transação; abra o app do Mercado Pago e selecione “Adicionar dinheiro”; escolha “Cartão Virtual Caixa”; determine o valor que quer transferir; e por fim cadastre os dados do seu cartão virtual Caixa e confirme o depósito.

Nubank

Pelo Nubank a antecipar o saque ou transferência do auxílio ou FGTS começa também com a abertura de uma conta pelo app. Em seguida, nos atalhos que ficam na parte de baixo, clique em “Depositar” e “Depositar por Boleto”. Depois informe o valor que deseja transferir e clique em “concluir”, e pague o boleto no app Caixa Tem. O pagamento por boleto demora até três dias úteis para ser transferido à conta Nubank.

PicPay

Abra a conta neste app e depois selecione “Sua carteira” e “Adicionar dinheiro”. Em seguida, selecione a opção “Cartão de débito virtual ELO”. Copie os dados do cartão virtual gerado pelo Caixa Tem e gere o código de segurança a cada transação. Por fim, escolha o valor a ser transferido e confirme o código de segurança (CVV).

Fonte: UOL Economia

*Foto: Divulgação

Senado aprova postergar até o fim de 2020 acordos de redução de jornada e salário

O Senado deu autorização para o governo postergar a suspensão de contratos de trabalho e a redução de jornada e salário, enquanto durar o período de pandemia gerada pela Covid-19, que vai até o fim de 2020. No entanto, o período de adiamento dependerá de decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Os senadores aprovaram a medida provisória sobre o tema por 75 votos favoráveis e nenhum contrário.

Redução de jornada e salário até o fim do ano

A proposta seguirá para sanção de Bolsonaro, já que foi alterada no Congresso. A MP 936/2020 foi assinada pelo presidente em abril, integra texto do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda e é vista como essencial para a preservação de empregos e um alívio financeiro às empresas durante a pandemia de covid-19.

Até o momento, segundo dados do Ministério da Economia, ao menos 10.693 milhões de acordos foram assinados entre funcionários e empregadores, nos moldes estabelecidos pela MP.

O texto original da MP autorizava a suspensão de contratos por até 60 dias e a redução de jornada, por até 90 dias.

Com a alteração, as empresas poderão estender o período de suspensão ou redução. No entanto, o adiamento depende de uma decisão de Bolsonaro. Segundo o portal Broadcast antecipou, o governo avalia postergar o período de suspensão por mais dois meses e o prazo de redução de jornada e salário por mais 30 dias.

Sanção

A sanção do projeto deve acontecer rapidamente, já que uma das preocupações da equipe econômica e de alguns setores é com acordos de suspensão fechados no começo de abril e que venceram no início deste mês. Em suma, as empresas dependem da prorrogação para seguir com os contratos suspensos por mais um período a partir do mês de julho.

A medida autoriza redução de jornada de trabalho em 25%, 50% ou 70%, com um corte proporcional no salário, por até três meses. Além disso, também é possível suspender o contrato por até dois meses.

O governo estipulou uma compensação, depositando valores diretamente na conta dos trabalhadores que podem chegar a 100% do seguro-desemprego, dependendo do nível salarial.

A suspensão ou a redução de jornada e salário garante ao funcionário um nível de estabilidade no emprego. Na prática, se o empregado tiver três meses de salário reduzido, a empresa terá de pagar multas maiores em caso de demissão sem justa causa durante um período de seis meses, ou seja, o dobro do tempo de duração da redução na jornada.

O acordo pode ser fechado coletivamente com sindicatos ou individualmente com cada trabalhador.

Fonte: UOL com informações do Estadão Conteúdo

*Foto: Adailton Damasceno/Futura Press/Estadão Conteúdo

Como saber se seu CPF foi utilizado em fraudes no auxílio emergencial

Para saber se houve fraudes no auxílio emergencial com o uso do CPF é possível fazer a consulta pelo site do Dataprev

O governo federal determinou como uma das formas de ajudar a população brasileira, a iniciativa da renda básica no valor de R$ 600, a fim de mitigar os efeitos da crise econômica que assolou o país com a chegada do novo coronavírus. No entanto, foram constatadas fraudes no auxílio emergencial, devido a golpes com uso de CPF de quem não solicitou o benefício.

Vale ressaltar que muitos brasileiros tiveram que regularizar o número do CPF para poder receber o benefício.

Como saber identificar fraudes no auxílio emergencial

Se seu CPF foi usado na aplicação de fraudes no auxílio emergencial, para conseguir descobrir se seu número serviu para esta finalidade, basta acessar o site do Dataprev, criado para a consulta do benefício. Nesta página, você vai colocar seus dados:

  • Número de CPF;
  • Nome completo;
  • Data de nascimento;
  • E nome da mãe.

Na sequência, clique em “não sou um robô” e em seguida em “enviar”. Se tudo deu certo, uma nova página se abre automaticamente e apontará se o auxílio foi ou não solicitado para aquele número de CPF.

Em caso de fraude: como proceder?

Por ser um dos documentos mais importantes para um cidadão, o CPF também é uma peça chave para obtenção de vários tipos de serviços públicos. Com isso, se torna um dos mais visados por pessoas que cometem fraudes.

No caso de seu CPF ter sido utilizado de forma irregular para solicitar o auxílio emergencial, denuncie. Porque além de não contar com o benefício de R$ 600, é bem possível que você ainda sofra ações judiciais se nada fizer para reparar esta fraude.

Para denunciar, bata ligar para o número do Ministério da Cidadania (121). Você pode entrar em contato também com o Dataprev, Caixa Econômica Federal ou, se achar que é preciso, fazer um Boletim de Ocorrência da Polícia.

Golpes do benefício

De acordo com a Caixa, já foram pagos mais de R$ 60 milhões a quem recebe o auxílio emergencial. Em função do valor alto dessa finalidade, vários criminosos passaram a investir tempo para aplicar golpes em quem não esteja bem informado.

De acordo com levantamento da PSafe, mais de 7 milhões de pessoas já sofreram algum tipo de golpe ligado ao auxílio emergencial.

Neste caso, é bom lembrar que a Caixa jamais envia mensagem por WhatsApp ou Facebook. E sempre é bom procurar informações de fontes seguras e entrar em contato via canais de oficiais, como o site do banco, o aplicativo Caixa Tem ou pelo telefone 111.

Fonte: Site Concursos no Brasil

*Foto: Divulgação

Agora analistas financeiros projetam retração em torno de 6% no PIB

Cada vez mais pessimistas analistas financeiros afirmam que tombo do PIB em 2020 pode ser de 5,89%, sendo a 15ª vez consecutiva que a projeção cai

Os analistas financeiros estão mais pessimistas sobre o mercado, em relação à queda no desenvolvimento econômico do Brasil, que é a maior a cada semana.

Na última segunda-feira (25), foi publicado o Boletim Focus, que apontava que o Produto Interno Bruto (PIB) de 2020 deve demonstrar uma contração de 5,89%, na última semana, já a estimativa de queda era de 4,11%. As porcentagens apresentadas levam em consideração a pandemia causada pelo novo coronavírus no país, que acarreta na incerteza quanto à paralisação de atividades econômicas.

Para o ano que vem, a projeção que os analistas financeiros enxergam é de um crescimento de 3%. Sem contar que esta foi a 15ª vez seguida que a previsão de resultado da economia para este foi revisada.

A crise provocada pelo avanço da Covid-19 afetou o Brasil em um ano que se estimava uma recação da economia, que dava indícios de recuperação da crise vivida entre 2015 e 2016. No começo deste ano, antes da pandemia chegar por aqui, os especialistas projetavam um crescimento econômico em torno de 2,3%.

Posição dos analistas financeiros

A projeção feita pelos analistas financeiros é pior do que a do governo. Hoje, o Ministério da Economia prevê recessão de 4,7%, em um panorama em que o período de isolamento social acabe nos próximos dias. Nas contas da equipe econômica, cada semana a mais de paralisação causa uma queda de 0,7% no PIB deste ano.

Além disso, se a previsão do mercado financeiro para o resultado da economia nacional se confirmar, a queda do PIB de 2020 será maior ainda do que a registrada em 2016, ano do impeachment da então presidente Dilma Rousseff. Na ocasião, a economia retraiu 3,3%.

Com a evolução do coronavírus, estados e municípios seguem incertos entre endurecer as regras, caso do lockdown no Pará e no Maranhão, e no megaferiado em São Paulo, ou começar a abrir a economia, como já dá indícios o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, com relação à volta do futebol e a reabertura do comércio.

Economia em inflação

A crise da doença reflete na economia a cada dia sendo mais deflacionária, em função da queda da demanda e do poder aquisitivo do consumidor.

De acordo com os economistas consultados pelo Banco Central (BC) para o boletim do Focus, foram reduzidas novamente as projeções para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA, que mede a inflação oficial no país. E, consequentemente, com demanda menor, os preços não aceleram tanto.

Vale lembrar que economistas ouvidos pela UOl na primeira quinzena do mês também enxergam uma retomada em ritmo mais lento (relembre aqui).

A previsão para o indicador saiu de 1,59% para 1,57% no ano, abaixo da meta traçada, que é de 4% e também abaixo da margem de tolerância, que varia entre 2,5% e 5,5% para este ano. Em abril, o resultado do IPCA trouxe deflação de 0,31% pela primeira vez na história o indicador deste mês é negativo. Para 2021, a projeção para inflação caiu de 3,30% para 3,25%.

Já a projeção do dólar subiu para R$ 5,40 ao fim do ano. A moeda norte-americana segue sua escalada e, na última semana, fechou o pregão negociada a R$ 5,57, momento da divulgação do vídeo de uma reunião ministerial de abril, autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello.

Fonte: Revista Veja

*Foto: Divulgação / Bruna Prado