3% dos microempreendedores de Niterói têm mais de 65 anos

3% dos microempreendedores de niterói têm mais de 65 anos

A cidade de Niterói (RJ) indica que uma parcela de 3% de seus microempreendedores individuais já estão acima dos 65 anos e também são responsáveis por movimentar a economia desta região. É o caso da costureira Schirley Nascimento, de 73 anos. Moradora da Engenhoca, ela é aposentada há 13 anos, mas na prática ainda continua trabalhando como modista, ofício que ajudou a criar os seis filhos. Atualmente, Schirley está em fase de confecção de 170 peças encomendadas por uma escola privada, destinadas a uma festa à fantasia no fim do ano letivo. Por este serviço, ela vai faturar R$ 10 mil.

A aposentada se tornou microempreendedora há pouco mais de um mês e integra um grupo de profissionais da terceira idade que consegue tornar seu negócio forma graças ao auxílio da Casa do Empreendedor, no centro de Niterói. A entidade atua desde 2016 no mercado e informa que registrou 12.500 microempresários. Desse montante, 1.250 têm entre 55 e 65 anos, e 375 ultrapassa esta faixa etária.

Maior gama de opções

A modista afirmou ao jornal O Globo que com ao se transformar em microempreendedora, passou a fechar trabalhos com bons rendimentos:

“Quando você é formalizada, tem condição de abrir um leque de opções. Por exemplo, posso atender demandas de instituições e produzir em escala grande, porque eu tenho MEI e posso emitir nota fiscal. Sem isso, eu não seria contratada por pessoas que precisam prestar conta”.

Ela ressalta que com o valor de sua aposentadoria só é possível pagar seu plano de saúde. As demais despesas são pagas pelo fruto de seu trabalho, mas depende da demanda e de seu lucro, que afirma girar em torno de R$ 2 mil mensais.

“Se eu não costurar, morro de fome. Mas eu amo o que faço. Se eu tiver que acordar às 4h de sábado e domingo para trabalhar, farei com satisfação. E se eu não tiver encomenda de roupa, faço vestidinho de criança para doar, bolsa… Isso aqui é minha cachaça”.

Mente ativa

Para Marcos Caldas Brito, especialista em gestão de pessoas, é fundamental que os seres humanos mantenham a mente ativa como a costureira Schirley e trabalhar com o que ama para viverem ainda mais.

Caldas Brito capacita empreendedores no município e crê que o movimento de microempreendedores individuais da terceira idade ainda pode aumentar. Ele ressalta que pessoas desta faixa etária tendem a ter vícios que podem impedi-las de adquirir novos conhecimentos para abrir o próprio negócio:

“Antigamente, as pessoas trabalhavam e depois se aposentavam. Agora, além de se aposentarem, elas empreendem. Eu vejo essa transformação com bons olhos. Até porque, no mercado de trabalho, esse segmento acaba sendo muito afetado quando as empresas decidem reduzir o custo da mão de obra, substituindo veteranos por pessoas mais jovens”.

Luiz Paulino Moreira Leite, que é secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e ainda responsável pela Casa do Empreendedor, conta que muitos desses microempreendedores individuais estavam atuando de forma ilegal. Com a formalização e sua bagagem como trabalhador, as pessoas da terceira idade conseguem aumentar sua renda e ainda passam a se sentir como um cidadão que contribui para a sociedade.

Microempreendedores individuais

Os microempreendedores individuais são pessoas que atuam no mercado de trabalho por conta própria. Para se enquadrar na categoria MEI, é preciso faturar no máximo R$ 81 mil por ano e não possuir participação em outra companhia como titular ou sócio.

O objetivo da Casa do Empreendedor é o de promover serviços como abertura de MEIs, alvarás, alteração de dados cadastrais, viabilidade de local, além de emissão de nota fiscal eletrônica, parcelamento e impressão de boletos e declaração de faturamento.

O processo de abertura do MEI dura, em média, 30 minutos, conforme explica a Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Já o alvará é liberado em até 48 horas. Com isso, o microempreendedor já consegue emitir sua primeira nota fiscal.

Para se tornar MEI, a pessoa precisa apresentar os seguintes documentos:

  • CPF;
  • Título de Eleitor;
  • Número do recibo da declaração do IRPF;
  • Comprovante de Residência.

Em Niterói, a Casa do Empreendedor está situada no 2º piso do Bay Market, no centro da cidade. O horário de funcionamento é de segunda a sexta, das 10h às 16h. Este serviço é exclusivo para os residentes do município, que também presta informações de como obter um microcrédito para seu negócio.

Fonte: O Globo

*Foto: Divulgação / Roberto Moreyra – Agência O Globo