Embraer e Boeing cancelam acordo anunciado há quase dois anos

Embraer e Boeing cancelam acordo após quase dois anos do anúncio da possível fusão, que seria concretizada este ano, segundo fontes

Embraer e Boeing cancelam acordo depois de quase dois anos do anúncio da fusão, conforme informou a companhia brasileira de aviões, no último dia 25 que, depois do fim do acordo no valor de US$ 4,2 bilhões com a Boeing. Agora, a fabricante de aeronaves trabalha para ajustar os seus níveis de produção e custos de capital para economizar recursos.

Em comunicado, a empresa reforçou que encerrou 2019 com uma “sólida posição de caixa” e não possuía “dívida significativa para os próximos dois anos”.

Em outro trecho, a Embraer fala sobre liquidez:

 “Estamos tomando medidas adicionais para preservar nossa liquidez e manter nossas finanças sólidas durante esses tempos turbulentos”, acrescentou a empresa.

Outras medidas dizem respeito a ajustes de estoque, ampliação dos ciclos de pagamento, diminuição de gastos e busca de financiamento, afirma a empresa.

Possível fusão sairia em 2020

O acordo entre Enbraer e Boeing foi anunciado há quase dois anos e a possível fusão seria concretizada este ano, segundo fontes e seria aprovada pelo Cade.

As companhias estavam em etapa final de fechamento da negociação antes da Boeing decidir desfazer o negócio. Inicialmente, a Boeing deveria controlar 80% da divisão de aviação comercial da Embraer, que fabrica aviões de até 150 lugares.

A Embraer e a Boeing já tinham recebido aval dos organismos antitruste de todos os governos necessários, sendo contra apenas a União Europeia. Além disso, a Embraer já havia gasto milhões na criação do segmento de negócios que a Boeing controlaria.

 Sobrevivência a longo prazo

A companhia brasileira, que é a terceira maior fabricante de aviões do mundo, enxergava o acordo como vital para sua sobrevivência a longo prazo, a medida que o duopólio da Boeing-Airbus ganhava mais espaço no mercado.

A Embraer afirmou em um comunicado no último sábado (25) que a Boeing rescindiu “indevidamente o Acordo Global da Operação e fabricou falsas alegações como pretexto para tentar evitar seus compromissos de fechar a transação e pagar à Embraer o preço de compra de U$ 4,2 bilhões.”

Por fim, a fabricante brasileira disse que vai buscar as “medidas cabíveis” para ser ressarcida pelos prejuízos causados pela decisão da Boeing.

Fonte: Revista EXAME

Demitidos na pandemia: quais são os direitos dessas pessoas?

O país possui muitos demitidos na pandemia, em função das empresas não conseguirem funcionar durante o período de isolamento social

Funcionários que forem demitidos na pandemia, sem justa causa, entram nas mesmas regras habituais da CLT. Com isso, o trabalhador que é dispensado durante o período de distanciamento social terá direito ao aviso-prévio proporcional ao tempo de serviço, que poderá ser de até 90 dias.

Demitidos na pandemia – direitos

Além do aviso-prévio proporcional, o empregado receberá o saldo salarial, que equivale aos dias trabalhados e ainda não pagos, o 13º salário proporcional, férias proporcionais acrescidas de ⅓ de seu valor, férias vencidas, caso as possua, acrescidas de ⅓ e uma indenização no valor correspondente a 40% de seu saldo do FGTS.

A pessoa também poderá sacar o FGTS e receber o seguro-desemprego, caso se enquadre nos requisitos exigidos por lei trabalhista.

Casos que não pode haver demissão na pandemia

Vale reforçar que os empregados que tiveram a jornada de trabalho e o salário reduzidos ou o contrato de trabalho suspenso, e receberam do Estado o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda, que já beneficiou 24 milhões de pessoas, não poderão ser demitidos na pandemia durante o período de duração da redução da jornada ou da suspensão do contrato. E também nem pelo menos período, depois que o contrato for restabelecido normalmente.

O que muda no período de distanciamento social

No entanto, existe uma situação diferente em função da crise gerada pelo avanço da Covid-19. Na prática, se um funcionário foi demitido em razão do fechamento da empresa. Neste caso, a CLT prevê que, nas hipóteses em que o empregador encerra suas atividades, em razão de motivo de força maior, a indenização de 40% sobre o FGTS, paga ao trabalhador, passa a ser devida pela metade, ou seja, no valor de 20%. Já o restante das verbas devidas são pagas normalmente.

Em declaração à revista EXAME, o advogado Marcelo Mascaro, especialista na área trabalhista também diz que no caso do fechamento da companhia por força maior, a motivação deve ser provada. Apesar da pandemia da Covid-19 ser considerada como grande motivo para encerramento de uma empresa e prevista na Medida Provisória 927, ainda assim, para que ocorra a redução no pagamento da indenização ao funcionário demitido a companhia deve provar que, no seu caso específico, o encerramento das atividades aconteceu em função da pandemia do novo coronavírus.

Fonte: Revista EXAME

*Foto: Divulgação

Concurso PC DF oferece 1.800 vagas de agente

Concurso PC DF oferece vagas com exigência de nível superior e com salário inicial de R$ 8,6 mil; diretor cobra agilidade na realização do certame

O Concurso PD DF está no aguardo do anúncio da banca organizadora para poder ser definida a data. Sobre isso, o diretor da Polícia Civil do Distrito Federal, Robson Cândido, cobrou, na última quinta-feira (23), maior agilidade para a realização do certame. A seleção oferece cargo de agente policial.

Agilidade no concurso PC DF

Segundo Cândido, é preciso que a Procuradoria-Geral do estado dê prioridade aos procedimentos para a viabilização do concurso:

“Solicitamos à Procuradoria-Geral do Distrito Federal urgência na tramitação dos procedimentos para a realização do concurso de agente de polícia. A defasagem do quadro, a crescente demanda e o compromisso de continuar mantendo serviços de excelência à sociedade exigem essa celeridade. Nada obstante esta defasagem de pessoal e a excepcionalidade causada pela Covid-19, os servidores policiais bravamente têm se dedicado nesta grande adversidade.”

Banca organizadora

Além da pandemia do novo coronavírus, que causou uma crise mundial, afetando o setor de concursos, o certame do PC DF depende também neste momento da escolha da banca organizadora para poder ser marcada a data da prova objetiva. Na disputa para gerir o certame, estão o Cebraspe e o Instituto Iades. Há uma expectativa de que a empresa escolhida seja contratada pelo critério de dispensa de licitação, o que significa que, uma vez anunciada, o processo de publicação do edital seja feito o quanto antes. O nome da escolhida deverá ser divulgado em breve. Portanto, os interessados em participar da seleção devem ficar atentos.

Concurso PC DF – vagas

No total, 1.800 vagas serão oferecidas no concurso PC DF, sendo 600 para posse imediata e 1.200 para formação de cadastro reserva de pessoal. Apenas depois da escolha da banca que poderá ser definida a data de publicação do edital.

Desde 6 de setembro, que o certame é esperado, quando foi autorizado pelo governador Ibaneis Rocha.

Os candidatos devem ter ensino superior completo, em qualquer área de formação, além de carteira de habilitação a partir da categoria “B”. o salário inicial é de R$ 8.698,78, com jornada de trabalho de 40 horas semanais.

Sobre os estudos para o cargo de agente policial, professores de cursos preparatórios indicam que é preciso ter vocação para atuar na área policial, além de estudar bastante, é claro.

Fonte: JC Concursos

*Foto: Divulgação/Agência Brasília

Renda básica emergencial já beneficiou 24 milhões de pessoas

Renda básica emergencial já fez Caixa pagar R$ 16,3 bilhões; já o pagamento em dinheiro será disponibilizado a partir da próxima segunda-feira (27) sem precisar de um cartão físico

A Caixa Econômica Federal liberou R$ 16,3 bilhões em créditos no pagamento da renda básica emergencial. Com isso, 24 milhões de pessoas já foram contempladas pelo auxílio, em função da pandemia do novo coronavírus.

Ontem (20), a Caixa, que é responsável pelo pagamento, depositou o valor de R$ 600 para R$ 4.230.900 pessoas por meio da Poupança Social Digital Caixa.

Renda básica emergencial

Até o momento, 38 milhões de pessoas se cadastraram para receber a renda básica emergencial. Na última sexta-feira (17), o banco pagou o crédito para 3.438.238 pessoas com conta poupança na Caixa. No dia seguinte (18), o número de contemplados foi de 1.420.466 cidadãos que possuem contas em outras instituições bancárias.

Saques em dinheiro

De acordo com a Caixa, os saques em dinheiro, que não precisam de cartão em casas lotéricas ou em caixas eletrônicos, começarão a ser pagos na próxima segunda-feira (27). Os saques acontecerão de acordo com o mês de nascimento do beneficiário. O banco ressalta que esta medida tem por objetivo diminuir os efeitos da Covid-19 na economia do Brasil.

Conforme as novas datas de saques, anunciada há alguns dias, poderão sacar o dinheiro no dia 27 os nascidos nos meses de janeiro e fevereiro; no dia 28, as pessoas nascidas em março e abril; no dia 29, quem nasceu em maio e junho; e, no dia 30, os que nasceram em julho e agosto.

Já na primeira semana de maio, serão os beneficiados nascidos em setembro e outubro, no dia 4; e no dia 5, os nascidos em novembro e dezembro.

Quem desejar poderá dispensar o valor na conta de poupança digital. Sendo assim, o dinheiro depositado poderá ser movimentado por meio do aplicativo Caixa Tem, destinado para pagamento de boletos e contas domésticas, além de transferências ilimitadas para contas da Caixa, e ainda com a possibilidade de realizar transferências mensais gratuitamente para outros bancos pelos próximos 90 dias.

Fonte: JC Concursos e Agência Brasil

*Foto: Divulgação

Saiba como regularizar o CPF sem precisar enfrentar filas

Em tempos de pandemia, não é preciso sair de casa para regularizar o CPF; confira as dicas neste artigo

Nos últimos dias, unidades da Receita Federal, Caixa, Correios ou Banco do Brasil causaram aglomerações e o motivo foi que pessoas tiveram que se deslocar até estes estabelecimentos para regularizar o CPF (Cadastro de Pessoas Físicas) e assim garantir o recebimento do auxílio emergencial do Governo Federal. Porém, é possível resolver esta questão sem ter de enfrentar filas.

Como regularizar o CPF sem sair de casa

Para quem possui acesso à internet, pode fazer a regularização do CPF por meio do site da Receita e sem custo algum. Além de ser um documento essencial para o cidadão que vive no Brasil, sem o CPF as pessoas que se enquadram na medida de auxílio emergencial do Governo Federal, para ter o benefício de R$ 600 mensais pelo período de três meses, por enquanto, não consegue receber a quantia.

Essa foi uma das medidas que o Governo encontrou para mitigar os efeitos da crise econômica gerada pela pandemia do novo coronavírus. Portanto, é essencial que o CPF esteja em dia para ter direito a receber o auxílio.

Quem tem direito a receber

As pessoas que poderão receber o auxílio emergencial são as pessoas que perderam suas vagas de emprego ou não possuem renda fixa, os informais, microempreendedores individuais, trabalhadores autônomos, sendo que já estão incluídos beneficiados pelo Bolsa Família e inscritos no CadÚnico. A Caixa também já divulgou as novas datas de saques.

Porém, quando estes indivíduos se cadastraram para receber o benefício descobriram que não poderiam fazer o pedido do auxílio já que o número de seu CPF não estava regularizado junto à Receita Federal.

Logo abaixo, faremos um passo a passo de como regularizar o CPF sem precisar sair de casa e correr riscos em meio à pandemia da Covid-19:

Como saber se o CPF está regular?

  • Basta acessar o site da Receita Federal e clicar em “CPF”;
  • Em seguida, clique na opção “Comprovante de Situação Cadastral no CPF”;
  • Por fim, preencha seu CPF, sua data de nascimento, clique na caixa “Não sou um robô” e depois em “Consultar”.

Você será automaticamente redirecionado para uma página própria. Nela, aparecerá todos os seus dados e a situação em que se encontra o seu documento.

Como atualizar dados do CPF

  • Para atualizar os dados do CPF, entre no endereço eletrônico da Receita Federal e clique na caixa escrita “CPF”;
  • Clique em “Alterar cadastro CPF”;
  • Uma página será aberta e basta clicar no link;
  • Você entrará em mais uma página, onde deve preencher seus dados.

Como regularizar o CPF

Caso você precise regularizar seu número de CPF, siga estes passos:

  • Entre no site da Receita Federal e clique no quadro “CPF”;
  • Vá até a opção “Regularização CPF”;
  • Vá até o link onde circulamos em amarelo;
  • A página da imagem abaixo vai aparecer. Preencha os seus dados e clique no botão “Enviar”.

Após fazer tudo isso e se mesmo assim não foi possível fazer a regularização pelo site da Receita Federal, você pode enviar um e-mail de acordo com a região do Brasil onde reside:

1ª Região Fiscal (DF, GO, MT, MS e TO) – [email protected]

2ª Região Fiscal (AC, AM, AP, PA, RO e RR) – [email protected]

3ª Região Fiscal (CE, MA e PI) – [email protected]

4ª Região Fiscal (AL, PB, PE e RN) – [email protected]

5ª Região Fiscal (BA e SE) – [email protected]

6ª Região Fiscal (MG) – [email protected]

7ª Região Fiscal (ES e RJ) – [email protected]

8ª Região Fiscal (SP) – [email protected]

9ª Região Fiscal (PR e SC) – [email protected]

10ª Região Fiscal (RS) – [email protected]

No campo assunto do e-mail, descreva a situação que deseja. Exemplo: “Regularização de CPF”, ou se for uma alteração, digite “Alteração de CPF”.

Além disso, é preciso anexar os seguintes documentos:

  • Documento de identificação (para maiores de 16 anos vale o RG. Para menores de 16 serve RG ou Certidão de Nascimento, mas é preciso ter também o RG do responsável);
  • Comprovante de endereço;
  • Protocolo de Atendimento gerado na Internet ou na entidade conveniada (Caixa, Banco do Brasil Correios);
  • Foto do rosto do interessado segurando o documento de identificação aberto (mostrando frente e verso).

A resposta será dada por e-mail, podendo ter duas situações: aprovação ou reprovação.

Em caso de aprovação, seu CPF está regularizado e assim poderá receber o auxílio emergencial ou mesmo usar o seu documento para outras finalidades.

Agora, no caso de pedido negado, será passada uma nova instrução e de como você deverá proceder e ter de se deslocar até uma unidade da Receita Federal.

Vale ressaltar que nem todos os prédios da RF estão abertos em função do período de isolamento social. Portanto, pesquise se o local designado por e-mail está em funcionamento e em quais horários.

Fonte: Site Concursos no Brasil

*Foto: Divulgação / Wikipedia

Auxílio emergencial: confira as novas datas de saques

Caixa Econômica Federal define novas datas de saques do auxílio emergencial em espécie e do crédito automático, conforme o mês de aniversário dos beneficiários

Na noite da última segunda-feira (13), a Caixa Econômica Federal divulgou o calendário com as novas datas para os saques do auxílio emergencial que varia de R$ 600 a R$ 1.200. A decisão é um modo de abrandar os prejuízos na economia, causados pela pandemia do novo coronavírus às pessoas de baixa renda no Brasil.

De acordo com o banco, a retirada do valor em espécie terá início no dia 27 de abril. Enquanto isso, o pagamento digital já está sendo realizado.  

Auxílio emergencial – quem pode receber

O auxílio emergencial PE destinado aos trabalhadores autônomos, informais e microempreendedores (MEIs) que perderam ou tiveram sua fonte de sustento reduzida, em função da crise da Covid-19. A ajuda será recebida por aqueles que estiverem inscritos no CadÚnico, no Bolsa Família ou que solicitaram o auxílio pelo aplicativo oficial criado pelo Governo em parceria com a Caixa.

Calendário de saques

Com a finalidade de evitar aglomerações nas casas lotéricas e agências da Caixa, a distribuição do auxílio emergencial será feita de forma escalonada, conforme o mês de nascimento dos beneficiários. Confira abaixo as datas:

  • 27 de abril: nascidos em janeiro e fevereiro;
  • 28 de abril: nascidos em março e abril;
  • 29 de abril: nascidos em maio e junho;
  • 30 de abril: nascidos julho e agosto;
  • 4 de maio: nascidos em setembro e outubro;
  • 5 de maio: nascidos em novembro e dezembro.

Pagamento digital do auxílio emergencial

No dia 9 de abril, parte dos inscritos do CadÚnico que não recebem Bolsa Família, porém, têm conta no Banco do Brasil ou poupança na Caixa, receberam a primeira parcela do auxílio de modo automático. Durante esta semana, o depósito do dinheiro foi feito para o restante do grupo, terminando amanhã (17):

  • Terça-feira (14): nascidos em janeiro e mulheres chefes de família (aquelas que sustentam uma casa e filhos sozinhas);
  • Quarta-feira (15): nascidos em fevereiro, março e abril;
  • Quinta-feira (16): nascidos em maio, junho, julho e agosto;
  • Sexta-feira (17): nascidos em setembro, outubro, novembro e dezembro.

Já os beneficiários do Bolsa Família também terão direito ao crédito automático do auxílio emergencial, em decorrência da pandemia. Entretanto, deverão optar qual ajuda é mais vantajosa. Na prática, se o valor do Bolsa Família for acima do novo auxílio, então o valor creditado será do primeiro benefício e vice-versa. Sendo assim, receberão conforme o Número de Identificação Social (NIS):

  • Quinta-feira (16): beneficiários do Bolsa Família cujo último dígito do NIS é igual a 1;
  • Sexta-feira (17): beneficiários do Bolsa Família cujo último dígito do NIS é igual a 2.

A segunda parcela do auxílio emergencial será depositada para:

  • 27 de abril: nascidos em janeiro, fevereiro e março;
  • 28 de abril: nascidos em abril, maio e junho;
  • 29 de abril: nascidos em julho, agosto e setembro;
  • 30 de abril: nascidos em outubro, novembro e dezembro;
  • Últimos 10 dias úteis de maio: beneficiários do Bolsa Família.

A terceira parcela será entregue de acordo com o seguinte calendário:

  • 26 de maio: nascidos em janeiro, fevereiro e março;
  • 27 de maio: nascidos em abril, maio e junho;
  • 28 de maio: nascidos em julho, agosto e setembro;
  • 29 de maio: nascidos em outubro, novembro e dezembro;
  • Últimos 10 dias úteis de junho: beneficiários do Bolsa Família.

Como sacar o auxílio emergencial

Os saques em dinheiro poderão ser realizados diretamente nos caixas eletrônicos ou em casas lotéricas, sem a necessidade de um cartão. Portanto, quem não tiver conta na Caixa poderá ter acesso à quantia do mesmo jeito. Para isso, o beneficiário tem que acessar o aplicativo da Caixa Tem e selecionar a opção de saque assim que está for liberada. Em seguida, é só indicar o valor que quer obter, gerar o código e apresentá-lo na lotérica ou no caixa eletrônico.

Além disso, este mesmo aplicativo dá a opção de fazer o pagamento de contas e boletos e fazer transferências para outros bancos durante 90 dias gratuitamente. Quem não tem conta em nenhum banco poderá abrir uma poupança social na Caixa de modo automático e sem custo. Com isso, o valor do benefício cairá diretamente nesta conta.

Vale ressaltar que os interessados em receber o auxílio emergencial de R4 600 devem ficar atentos aos links oficiais da Caixa Econômica Federal a fim de evitar golpes. Todas as transações serão feitas pelo banco. Além disso, o governo liberou saque do FGTS no valor de até um salário mínimo, que hoje é de R$ 1.045.

Fonte: Site Concursos no Brasil

*Foto: Divulgação