Veja as normas de etiqueta que jamais sairão de moda

Mesmo que hoje muitas empresas tenham maior flexibilidade com vestimentas, entre outros fatores, existem normas de etiqueta que jamais sairão de moda. E quem deseja se aperfeiçoar mais como profissional é bom seguir algumas destas práticas no dia a dia.

Quando a pessoa exerce um trabalho em uma grande empresa é preciso estar atento ao ambiente que o cerca. Isso diz respeito a construir bons relacionamentos. Não é necessário adorar o seu colega. Porém, tratá-lo com respeito e educação é o mínimo. Até esta pessoa por quem você não nutre tanta simpatia, possui sentimentos como qualquer ser humano.

Lidar com emoções

Saber lidar com as emoções em um ambiente corporativo ou até mais descontraído, como uma startup, é fundamental para o bom funcionamento de toda equipe. Além disso, é também ter uma boa reputação perante a eles.

Segundo a CEO da empresa Etiqueta Empresarial, Maria Aparecida Araújo:

“Existem cinco emoções primais do ser humano, e elas são as mesmas desde o tempo das cavernas: alegria, tristeza, raiva, medo, nojo e surpresa”.

Portanto, é aconselhável que a pessoa opte em demonstrar comportamentos que despertem mais a alegria de seus companheiros de trabalho. É bom evitar atitudes que possam desencadear danos aos demais.

Normas de etiqueta

As normas de etiqueta também dizem respeito à educação no ambiente corporativo em relação a não ferir a autoestima do outro. É manter uma boa relação com todos, mesmo que você não goste de determinada pessoa. É importante saber ouvi-la, pois ela pode ter ideias interessantes para dividir com todo pessoal. Tratar todos bem gera suavidade no local de trabalho e ainda lhe abrir portas.

Não ser o centro das atenções

Novamente, saber ouvir o que os outros têm a dizer é fundamental em relação às normas de etiqueta dentro de uma empresa. O local de trabalho não é um espaço para se autopromover no sentido de querer sempre se sobressair aos demais, não dando o devido espaço para que eles também contribuam para o sucesso da empresa. Segundo Maria Aparecida, as companhias apreciam mais os funcionários que sabem ouvir os demais.

Educação é tudo

Mesmo na correria do dia a dia em uma empresa é essencial a pessoa ser educada. É o que resalta a especialista em etiqueta contemporânea, Silmara Adad. Ela diz que o colaborador não deve se esquecer de dar um bom dia, pedir ‘por favor’, agradecer por algo e também se desculpar quando necessário. Ela conclui que sempre devemos demonstrar atenção ao colega. E isso não importa se o ambiente de trabalho é mais formal ou descontraído. A prática vale ainda para as mensagens de texto, tanto em e-mails como recados via WhatsApp.

Além disso, ser pontual e manter a palavra em é fundamental para construir uma boa reputação na empresa. Caso não consiga cumprir com algo, avise os responsáveis. Jamais deixe alguém esperando, seja em reunião, ou alguma parte de trabalho que dependia de você para ser concluído.

Saber ouvir uma crítica

É normal que um ambiente corporativo em algum momento ser chamado a atenção por algo que possa ser melhorado. No entanto, a pessoa que precisar chamar atenção de alguém deve fazer em particular, jamais na frente de todos com o intuito de humilhá-lo.

Na hora de chamar atenção, reservadamente, opte por dizer à pessoa que ela realizou um bom trabalho. Isso gera um ponto positivo para quem está ouvindo a crítica. Em seguida, diga que alguns pontos podem ser alterados de modo a melhorar o resultado. Por fim, adote uma postura que passe confiança ao outro no sentido de que ele é capaz e competente para desempenhar tais modificações.

Outro fator importante é em hipótese alguma falar mal de um colega pelas costas, pois pode ser prejudicado no futuro. Neste ponto, as especialistas são categóricas em dizer que se não tem nada que agregue para falar de alguém, simplesmente fique calado.

Vestimenta

Por mais que tenham empresas mais descoladas, como no caso das startups ou outro setores da economia, nem tudo é liberado. É preciso ter prudência ao se vestir. Ou seja, se vai a uma reunião em cliente, deve se vestir adequadamente.

No caso de bancos, já existem locais em que uso da gravata está sendo deixado de lado. No entanto, é preciso saber se isso diz respeito à função que desempenha neste local.

Além disso, é importante acatar regras ligadas aos sentidos, como: audição, olfato e tato, frisa Maria Aparecida. Quem quer se destacar em uma empresa não deve utilizar perfumes muito fortes. Também é bom evitar levar lanches com temperos acentuados, empesteando o ambiente. Cuidado com o hálito é fundamental e evitar cutucar as pessoas ao falar com elas. Por fim, se comunicar em um tom muito alto pode atrapalhar os outros funcionários, de acordo com a especialista.

Fonte: revista EXAME – Carreira S.A

*Foto: Divulgação

O que você faria se pudesse ser o líder da empresa por um dia?

Muitos gostariam de ser o chefe por um dia apenas para mandar nos outros, pensando ser esta a solução. Outros vão utilizar a oportunidade para entender como é ser um CEO de verdade. Mas afinal de contas: o que você faria se pudesse ser o líder da empresa por um dia?

A companhia britânica Odgers Berndston ajuda a desvendar este mistério. A multinacional que possui uma unidade no Brasil, na cidade de São Paulo, desenvolveu um programa chamado “CEOx1dia”.

A iniciativa possibilita que estudantes de qualquer curso superior do penúltimo ou último período possam ter a oportunidade de ter uma experiência de um dia habitual de 23 presidentes de grandes companhias do país. Durante essas horas, eles são ensinados a ser um líder, além de criar senso de responsabilidade e desenvolver uma carreira.

Criado há dez anos, o programa está presente em diversos países, como Inglaterra, África do Sul, Alemanha e Canadá. Aproveitando que a fase de inscrições e entrevistas no Brasil já aconteceu durante os meses de julho e até metade de agosto, o presidente da Cognizant no Brasil, uma das empresas participantes desta edição, João Lúcio de Azevedo Filho bateu um papo com a revista EXAME.

Como funciona o programa

Primeiramente, para participar do programa os candidatos devem preencher um formulário e enviar um currículo, além de responder à pergunta: “Por que você acredita que deve ser escolhido para participar do programa CEOx1dia?”.

O evento de 2019 contou com a participação de presidentes das empresas: Asics, Cognizant, Heineken, Hospital A.C. Camargo, Movida, Raízen, Roche e Sephora, entre outros.

Azevedo Filho afirma à EXAME que este programa é a chance única para um estudante entender os desafios mais complicados do universo corporativo.

O executivo explicou quais habilidades um jovem precisa ter para se um dia ocupar seu lugar.

Bate-papo

Segundo ele, é preciso que o candidato tenha:

“É fundamental ter motivação, disposição, energia e humildade para continuar aprendendo todos os dias. A Cognizant é uma organização global, presente em mais de 40 países, possui 280 mil colaboradores, dos quais 1.800 estão no Brasil. Por sermos uma empresa extremamente inovadora, bastante conectada com novas tecnologias e que atua ativamente na transformação digital de nossos clientes, precisamos também nos reinventar diariamente. Acredito que uns dos maiores desafios da minha posição é manter sempre a mente aberta para aprender e transmitir essa mesma motivação para toda a equipe.”

Além disso, ele destacou que o CEO que gostaria de acompanhar por um dia seria o Richard Branson, fundador do Virgin Group. A escolha dele por Brasnson é pelo fato do conglomerado ter mais de 20 companhias em diversos segmentos, como comunicação, mídia, serviços financeiros, saúde, transporte aéreo e até mesmo realizar viagens ao espaço.

Ele ainda ressalta que considera este gestor inovador, enérgico e ao mesmo tempo tem humildade para aprender algo novo. Azevedo Filho ainda destacou uma resposta que o CEO deu quando questionado sobre como seus negócios focam no cliente:

“Clientes não vêm em primeiro lugar. Os colaboradores da empresa vêm em primeiro lugar. Se você cuidar bem dos colaboradores, eles cuidarão bem dos seus clientes”.

Trocas

O presidente da Cognizant também respondeu quais são os aprendizados trocados entre os jovens e os executivos que participam do programa.

Ele acredita que para os jovens será algo único a ser vivenciado em um dia que você terá acesso a todo grau de complexidade que uma grande empresa enfrenta em seu dia a dia. Além de descobrir quais são os desafios que o gestor desta companhia também tem de lidar. A partir daí, estes profissionais conseguirão traçar os primeiros passos de sua trajetória corporativa.

Já em relação aos executivos, o CEO enxerga que é uma chance de conexão para que os mais experientes entendam também as angústias e expectativas que este público tem em relação à função que desempenhará.

Fonte: revista EXAME

*Foto: Divulgação

Como saber dizer seus pontos fracos em uma entrevista de emprego

Toda vez que as pessoas comparecem a uma entrevista de emprego já esperam pela famosa pergunta: qual seu maior defeito? E pensam como se sairão bem nesta resposta que não é nada fácil.

É importante identificar seus pontos fracos e apresentá-los de uma forma com que o recrutador se interesse pelo seu perfil.

Recentemente, o site BBC News colheu depoimentos junto à empresas de recrutamento, acadêmicos em pregadores. Com isso, traçou alguns passos para que os candidatos não passem mais apuros na hora de uma entrevista de emprego.

Segundo o diretor da empresa britânica de contratação de pessoal Reed Recruitment, James Reed:

“O que o entrevistador não consegue captar com precisão por meio de um currículo é a verdadeira personalidade de alguém. Ao perguntar ‘quais os seus pontos fracos’, na realidade ele está perguntando: ‘estão corretas as conclusões a que cheguei a seu respeito?'”.

Ele ainda acrescenta que fazer este tipo de pergunta ao entrevistado é um jeito de saber mais sobre seu caráter.

Ousadia pode dar resultados

Nesta hora é fugir dos clichês, como ‘sou perfeccionista’ e ‘muito exigente’. Essas respostas já são consideradas muito batidas pelos recrutadores.

E de acordo com a fundadora da HelloGrads, companhia de auxílio a recém-formados, Sophie Phillipson, batalhar para atingir objetivos e metas, além de ser exigente consigo mesmo ou prazos, não podem ser considerados defeitos. Sendo assim, o empregador acaba pedindo que o candidato mencione mais pontos fracos que realmente sejam de fato.

Ela mencionou uma resposta que enxergou como sua favorita uma vez em que uma entrevistada disse que seus defeitos eram tantos que nem sabia por onde começar o relato. No entanto, os recrutadores acharam graça em sua honestidade. Além disso, a jovem também admitiu ainda não estar pronta para assumir tal função. Porém, ela se preparou em relação a adquirir conhecimento sobre o tipo de profissional em que quer se transformar e estudou sobre o setor em questão. Sua atitude fez com que os entrevistadores a ouvissem e identificassem que ela soube transpassar inteligência emocional.

Phillipson diz que ser original e humano faz com que o candidato seja lembrado no intuito de conseguir um emprego.

Use relatos verdadeiros para explicar seus pontos fracos

Os recrutadores ressaltam que é importante ser verdadeiro neste sentido. Ou seja, cite exemplos da vida real para demonstrar seus pontos fracos e, ao mesmo tempo, diga o que está fazendo para superá-los. A ideia é tornar seu defeito um aliado para que aprenda a crescer em algo que não seja tão bom, mas que quer e tem vontade de aperfeiçoar.

Além disso, os entrevistadores encaram esta coragem como de uma pessoa autêntica e honesta.

Honestidade mas sem prejudicar sua imagem

Os especialistas em recursos humanos também ressaltam que é preciso ser honesto, mas sem se prejudicar. É saber dizer seus pontos fracos, porém sem ser clichê. Um exemplo é a pessoa dizer na hora da entrevista que seu maior defeito é se importar demais com o que faz no trabalho. Isso não é bem visto, soa falso.

Portanto, mais uma vez eles alertam a importância de ser honesto em admitir no que não é bom e saber identificar o que pode ser feito para melhorar este defeito.

Outro exemplo é se está concorrendo a uma vaga em que a empresa é considerada de um setor mais criativo e não possui estes atributos, você pode fazer com que esta companhia o enxergue como um aprendiz e que ela possa lhe formar neste quesito.

Prepare-se

Segundo o escritor John Lees, é importante a pessoa se preparar ensaiando as respostas que dará ao entrevistador.

Ele diz que o candidato pode decorar o que vai dizer a eles na frente do espelho ou até dizendo a um amigo de confiança.

Por fim, Lees afirma que jamais deve-se mencionar ao entrevistador problemas de relação com ex-colegas de trabalho; falta de atenção a detalhes e choques culturais que possa ter.

Fonte: BBC News

*Foto: Divulgação

O que os empregadores mais observam em candidatos a uma vaga

Hoje, o cenário é diferente de anos atrás, quando o que contava mais eram as habilidades técnicas do funcionário. Atualmente, uma empresa leva mais em consideração aquele trabalhador que possui mais habilidade humana no dia a dia. E antigamente esse funcionário mais ‘humano’ chegava a ser demitido pela falta de conhecimento técnico.

A junção de networking nas mídias sociais, incluindo o LinkedIn – maior rede social profissional do mundo, são plataformas essenciais para quem quer encontrar um emprego ou uma recolocação no mercado de trabalho.

Habilidades Interpessoais

Em inglês, habilidades interpessoais quer dizer ‘soft skills’. E é justamente esta condição que interessa mais às companhias neste momento. Além disso, se o candidato for das áreas de marketing, software e vendas, melhor ainda.

Uma pesquisa feita pelo LinkedIn registrou que mais de 90% dos recrutadores confirmam que as ‘soft skills’ valem tanto ou mais que as habilidades técnicas. Essa iniciativa pode auxiliar a checar como um profissional se comporta em determinadas circunstâncias. E isso vai além da empatia com outras pessoas.

Ainda sobre o estudo da rede social, cerca de 65% dos gestores responsáveis por contratar vendedores admitem que a ausência de capacidade interpessoal entre os candidatos restringe a produtividade da companhia. Para a área de vendas é essencial que o funcionário possua motivação e ambição para bater as metas. Isso sem deixar de lado qualidades, como confiabilidade e integridade. Além de também terem facilidade de adaptação, produtividade e foco no cliente.

Já os profissionais de marketing, segundo a pesquisa do LinkedIn, devem saber cultivar e gerar bom relacionamento com todos. Isso inclui as pessoas que trabalham interna e externamente com você. Na era digital, um bom atuante nesta área tem que saber contar boas histórias. Ou seja, o candidato desse setor deve ser capaz de desenvolver um ‘storytelling’ que prenda atenção, seja claro e motivacional. Além disso, as pessoas de marketing devem ser bastante criativos.

Na área de software, quem é engenheiro possui um talento muito buscado hoje em dia pelos recrutadores do LinkedIn. As ofertas em torno dessa profissão chegam a ser três vezes mais em comparação a outras. Em 2018, o engenheiro de DevOps foi o cargo mais requisitado.

Talento versus Competência Técnica e Interpessoal

No atual momento mais competitivo, encontrar um profissional que consiga unir talento, habilidades técnicas e interpessoais não tem sido fácil. Os recrutadores buscam candidatos que saibam trabalhar em equipe.

Todavia, os melhores funcionários são aqueles que gostam de corrigir erros por dias e digitar códigos, além de atuar em outros projetos. Mas também é observado se esse mesmo candidato quer sempre estar aprendendo algo novo. Pois esta condição é de suma importância visto que esta área está em constante evolução tecnológica, lançando tendências.

Cursos Online via LinkedIn

No site do LinkedIn é disponibilizado dois mecanismos com o intuito de desenvolver habilidades de comportamento. A primeira é o LinkedIn Learning, um espaço de cursos online da própria rede social. Por ela, os profissionais têm acesso a muitos cursos, dentre eles de hard e soft skills. A outra ferramenta é a Central de Aconselhamento Profissional, que não tem custo aos usuários que possuem conta no LinkedIn.

Portanto, hoje é mais fácil contratar um profissional que tenha habilidades humanas e que a empresa possa treinar suas capacidades técnicas.

*Foto: Divulgação

Trainee: empresa BDO abre processo seletivo para 150 vagas

As oportunidades são para todos os escritórios da companhia espalhados pelos país

A empresa BDO, especializada em auditoria e consultoria abriu processo seletivo para o preenchimento de 150 vagas de trainee.

Os cargos são para os setores de auditoria contábil, trabalhista e tributária. Além disso, as ocupações serão oferecidas para todos os escritórios do grupo no Brasil.

REQUISITOS

Podem se inscrever no processo seletivo estudantes e recém-formados nos cursos de administração, ciências contábeis, direito e economia.

O BDO divulgou que os selecionados terão a experiência de vivenciar de perto situações do dia a dia da empresa, além de participar de inúmeros projetos de clientes de portes e segmentos variados. Após formados, os trainees passarão por novas avaliações de desempenho e também assumirão as atividades pertinentes ao cargo, só que como os demais funcionários da companhia.

PROCESSO SELETIVO, SALÁRIOS E BENEFÍCIOS

Os candidatos aprovados no processo receberão salário compatível com o mercado. Além disso, terão assistência médica e odontológica, seguro de vida e um bônus adicional aos que possuírem inglês nível avançado.

O processo de seleção prevê dinâmicas em grupo, além de entrevistas com os sócios da companhia. Também haverá um processo de admissão, que inclui treinamento pelos escritórios; e começo das funções em campo. Os aprovados começarão a trabalhar na BDO em setembro.

PERÍODO DE INSCRIÇÃO

Os estudantes e recém-formados têm até o dia 26 de maio para cadastrarem seus currículos via site oficial da empresa.

*Foto: Divulgação

Petrobras recruta estagiários para nível médio e superior

Serão 72 vagas distribuídas em 15 cidades, entre eles: Bahia, Espírito Santo, Pará, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte mais o Distrito Federal

A Petrobras está com inscrições abertas para preencher 72 oportunidades de estágio para estudantes dos ensinos médio e superior.

As vagas estão espalhadas em 15 municípios, nos estados do: Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e São Paulo, além do Distrito Federal.

O número total de estágios para o nível superior é de 58 e compreende as áreas de administração, ciências atuariais, ciência da computação ou informática, direito, economia, estatística e engenharias de produção e química. Aos estudantes de ensino técnico estão destinados 14 cargos para: informática, meio ambiente, segurança do trabalho, suprimento e telecomunicações.

REQUISITOS E BOLSA-AUXÍLIO

Os universitários devem estar cursando ao menos o terceiro semestre, com exceção do curso de direito. Para este último, o candidato deve estar matriculado ao menos no sétimo semestre.

A bolsa-auxílio dos universitários é de R$ 1400 e para os estudantes do ensino médio é de R$ 980. A carga horária de ambos os níveis é de cinco horas. Além disso, todos terão direito a auxílio-transporte e seguro de vida.

OBJETIVO DO PROGRAMA DE ESTÁGIO

Para a Petrobras, o objetivo do programa de estágio é poder proporcionar aos estudantes uma experiência profissional de aprendizado bem sucedido. Pois, com isso, o futuro profissional poderá adquirir uma capacitação técnica e também desenvolver suas relações de trabalho e sociocultural.

INSCRIÇÕES E PROVAS

As vagas desse processo seletivo tem a intenção de atender a necessidade de áreas específicas da estatal. A empresa pretende abrir novo processo com mais oportunidades, nos próximos meses. Porém, já está sendo feito uma pesquisa interna para definir quais os departamentos que vão necessitar de novos estagiários em breve.

O prazo de inscrição vai até dia 9 de maio. O candidato deve acessar o site da Petrobras e cadastrar seu currículo. Além disso, os participantes terão que escolher em qual cidade deseja realizar a prova e também para qual nível de ensino. Só é possível uma inscrição por estudante.

Entres os dias 13 e 15 de maio será realizada a primeira etapa do processo e a prova será online. As questões abrangem conhecimentos gerais, língua portuguesa matemática e raciocínio lógico. Os candidatos aprovados passarão por uma entrevista. No dia 29 de maio será divulgado o resultado final. A duração do estágio para ambos os níveis é de seis meses com possibilidade de prorrogação por no máximo dois anos.

DICAS PARA O DIA DA ENTREVISTA

Antes da entrevista, uma dica para o candidato é pesquisar sobre os valores e missões da empresa em questão. Além de fazer um questionário sobre a companhia para tentar respondê-lo e, consequentemente, aprender ainda mais sobre o seu futuro local de trabalho.

Demonstre transparência e tranquilidade ao responder perguntas do entrevistador, sem exageros ou fatos mentirosos. Ressalte seus pontos fortes e em relação aos fracos, mostre sinceridade ao admiti-los. Todavia, seja claro quanto às suas qualidades que podem contribuir para o cargo almejado. E não fale mal dos locais onde já estagiou e o mesmo vale para ex-colegas de empresa. E o mais importante de tudo, jamais insira em seu currículo informações que não possam ser confirmadas.

*Foto: Divulgação

Técnico em Segurança do Trabalho atende empresas de apoio marítimo

As empresas voltadas ao setor de apoio marítimo contam com a especialização do técnico de segurança do trabalho na prevenção de acidentes.

A ideia é que o técnico desenvolva estratégias para que os colaboradores desenvolvam atitudes mais conscientes no local de trabalho.

Uma das empresas especialistas em apoio marítimo, a Marlin Navegação, abriu mês passado uma vaga destinada a esse profissional. A vaga era para a unidade do Rio de Janeiro e exigia experiência em três requisitos: apoio marítimo; PEOTRAM (auditoria do cliente Petrobras); e já ter inspecionado e atendido corporações que cumprem os requisitos instituídos pela Petrobras.

SOBRE A MARLIN NAVEGAÇÃO

A Marlin Navegação S. A. é uma empresa do ramo de embarcações de apoio marítimo. Ela possui atualmente uma frota com cinco embarcações (AHTS e OSRV) e atende o mercado de gás e óleo brasileiros. A constituição da empresa se deu por meio de dois fundos de private equity, regidos pela Angra Partners, pertencente ao empresário Alberto Guth e pela Mare Investimentos.

Entre as missões da empresa, estão o respeito ao meio ambiente e a valorização da segurança.

O QUE FAZ UM TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO MARÍTIMO

As companhias do ramo de gás e petróleo brasileiro atuam em um mercado global e precisam estar preparadas de acordo com o que este ramo de atividade exige. E a segurança é quesito obrigatório para o andamento dessas empresas, e consequentemente, do crescimento de sua produtividade.

O técnico em segurança do trabalho tem o dever de prevenir acidentes nas plataformas marítimas (instalação offshore). Nesse local, ficam expostos a todo tipo de instabilidade climática, como sol forte, chuvas, ventos, umidade e baixa temperatura. E também atuam em estaleiros, oleodutos, refinarias e termelétricas (instalação onshore).

Seu trabalho visa conscientizar os outros empregados para que desenvolvam atitudes mais seguras durante o expediente. Ele também tem que priorizar a integridade física de cada funcionário. Há os colaboradores resistentes à fases de transição ou que não acham importantes certas medidas de segurança. Para eles, podem-se mostrar essas ações na forma de campanhas, seminários, palestras e reuniões, entre outros tipos de apresentação.

Além disso, o profissional deve implementar ações de segurança que valorizem o meio ambiente e redução de custos. Seu trabalho é bastante proativo junto aos demais funcionários.

ATRIBUIÇÕES

Outras atribuições do cargo são: inspeção e instalação de equipamento do local de trabalho; observar as condições trabalhistas e avaliar a necessidade de manutenção dos equipamentos e instrumentos de segurança. Assumir liderança e orientação das equipes quanto ao controle de emergências. Essa prática engloba condução de veículos, funcionamento de sistemas de combate a incêndios; apuração e distribuição de dados indicadores de segurança. Participação nas medidas que visam reconhecer e avaliar os agentes que causam riscos ao meio ambiente. E integrar ações que controlem esses agentes quando expostos ao contato humano. Orientar a salientar a importância do uso de equipamento de proteção individual e produção de laudos técnicos.

Para trabalhar neste meio, o técnico deve ter concluído o curso de ensino técnico de nível médio e segurança do trabalho. Também é importante fazer mais cursos de qualificação ao longo da carreira. Além de possuir conhecimento da legislação de segurança do trabalho vigente e aplicá-la ao seu local de atuação.

*Foto: Divulgação

Marlin Navegação abre vagas para embarcações AHTS e OSRV

A empresa Marlin Navegação anunciou por meio de seus canais digitais a necessidade de captação de novos profissionais

O setor de gás e óleo continua em pleno aquecimento para as áreas de navegação e operações offshore.

Prova disso é que a companhia brasileira com matriz no Rio de Janeiro divulgou a novidade aos interessados que quiserem compor o banco de currículos em sua página do LinkedIn, onde é possível encontrar todas as informações de como se candidatar.

Para todos os cargos oferecidos é indispensável ter experiência em embarcações do tipo AHTS e OSRV.

As oportunidades em questão são para: Comandante; Imediato; 20N; Marinheiro de Convé; Moço de Convés; Chefe de Máquinas; Subchefe de Máquinas; 20M; Marinheiro de Máquinas; Eletricista; Cozinheiro e Taifeiro.

SOBRE A MARLIN

A Marlin Navegação S. A foi formada através de dois fundos de private equity, regidos pela Angra Partners, pertencente ao empresário Alberto Guth e Mare Investimentos.

A corporação faz parte de um grupo de empresas que dispõe no mercado uma frota de 5 embarcações de Apoio Marítimo, que atendem especificamente o mercado de óleo e gás no Brasil.

Segundo a companhia, segurança e respeito ao meio ambiente são primordiais para seu desenvolvimento e crescimento contínuo.

O QUE SÃO EMBARCAÇÕES AHTS E OSRV?

AHTS (Anchor Handling Tug Supply): São especializados em manuseio de âncoras, reboque e suprimento à unidades offshore.

A embarcação tem capacidade de realizar desde reboques de grandes estruturas em alto-mar até servir de embarcações de prestação de socorro e salvamento.

OSRV (Oil Recovery Supply Vessel): São destinados ao recolhimento de óleo vazado em regiões oceânicas.

Possui alto desempenho e rapidez para chegar facilmente até a mancha de óleo o quanto antes.

Assim como no AHTS, o ORSV também consegue combater possíveis incêndios.

*Foto: Divulgação