Governador do DF sanciona lei que reserva vagas a negros

De acordo com o decreto, fica estipulado que 20% dos cargos em concursos públicos serão destinados a negros

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, sancionou a lei 6.321, de 10 de julho de 2019. O texto diz respeito à reserva de 20% do total de vagas para candidatos negros. Isso vale para qualquer concurso público realizado nesta região do país.

Como funcionará

O decreto integra tanto certames da administração direta, como também autarquias, empresas e fundações públicas e sociedades de economia mista, controladas pelo poder Legislativo e pelo DF. Desde 11 de julho, a lei já está em vigor, com sanção governamental.

Segundo a lei, fica estabelecido que as seleções devem reservar pelo menos três postos. Será feito um cálculo fracionado para este número de vagas destinadas a concorrentes negros e pardos. Este indicativo será ampliado para o primeiro número inteiro seguinte, em situações de fração igual ou maior do que 0,5. E ainda há a possibilidade redução para número inteiro imediatamente inferior, no caso de fração menor do que 0,5.

Além disso, o texto também afirma a exigência do aviso de reservas nos editais de concursos públicos, que tem o dever de especificarem o total de oportunidades para cada função ou emprego público ofertado.

Requerimento

Todavia, para ter direito às reservas, os candidatos negros precisam se autodeclarar no ato da inscrição como pretos ou pardos, de acordo com o requisito de raça usado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No entanto, após a realização da inscrição, haverá uma averiguação desta declaração que será realizada por uma comissão indicada para esta finalidade e que possui competência deliberativa para tal avaliação.

A comprovação apenas deverá levar em consideração feições fenotípicas do candidato, que serão constatadas obrigatoriamente com a sua presença. Se uma pessoa fizer uma declaração falsa, automaticamente estará eliminado do certame. E em caso de já ter sido empossado, o mesmo será anulado, depois de realização de procedimento administrativo.

Concorrência

Os candidatos negros irão concorrer simultaneamente às vagas reservadas e também à ampla concorrência. Os que forem aprovados pela segunda opção não serão computados como participantes dentro do quadro quantitativo, ou seja, os que têm direito à reserva de vagas.

Fonte: JC Concursos

*Foto: Divulgação

Carência de pessoal faz BB admitir a importância de novo concurso

Próximo certame da instituição financeira será para escriturário, porém ainda não há previsão para acontecer

O concurso do Banco do Brasil para este ano ainda não tem data para ocorrer. Ao que tudo indica, o órgão já expressou a intenção de urgência em contratar pessoal em vários estados. O cargo é para escriturário com salário inicial em torno de R$ 4 mil. Podem participar das provas candidatos que possuam ensino médio.

Em recente declaração, Salim Mattar, secretário de desestatização e desinvestimentos do Ministério da Economia, afirmou que o atual governo não pretende privatizar o Banco do Brasil. Ele também confirmou a realização de um novo certame mesmo sem data, pois tem aumentado a necessidade de um aumento de servidores.

Audiência e lucros

Antes de conferir decisão definitiva, o ministro já havia dado liminar em que suspendia a negociação de estatais sem ordem direta do poder legislativo.

De acordo com a presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Juvandia Moreira, o BB ainda segue provendo ganhos ao governo.

Segundo ela, no primeiro semestre do ano passado, as instituições financeiras deram receita líquida de R$ 37,3 bilhões. Já os dividendos que esses bancos repassarão à União serão cerca de R$ 5,7 bilhões. E conclui que forem tomar por base um período ainda maior, como entre os anos de 2002 a 2016, estas mesmas empresas estatais geraram um repasse de R$ 285 bilhões de dividendos à União, ou seja, as estatais não causam danos ao governo.

Aguardo do novo concurso do BB

O último certame ocorreu em 2018 e ofereceu 60 vagas para o cargo de escriturário em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. Deste número, 30 foram preenchidas imediatamente. Por conta disso, aumenta a expectativa de que novas vagas para esta função apareçam em outros estados. Mesmo que ainda não tenha a confirmação para um novo edital como já mencionado acima, a carência de servidores é um fato e, principalmente, em São Paulo.

Segundo reportado pelo site JC Concursos, já tem cerca de dois anos que é esperado um novo certame do BB para demais estados, como: Alagoas, Amazonas, Bahia, Espírito Santos, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará e Tocantins.

Salário e benefícios

O cargo de escriturário do Banco do Brasil exige que os candidatos tenham ensino médio completo. Além disso, o salário inicial (referência do último concurso) é de R$ 2.718,73, contando com tíquete refeição de R$ 737 e de cesta alimentação no valor de R$ 580,83. Com isso, o profissional terá um total de R$ 4.036,56, contando os benefícios.

Fora isso, a instituição financeira também proporciona ao funcionário: auxílio-creche, auxílio a filho com deficiência, previdência privada, vale transporte, participação nos lucros ou resultados, além da probabilidade de crescimento profissional.

Atividades que o escriturário do BB desempenha

Dentre as atribuições deste cargo, pode-se destacar:

  • Atendimento ao público;
  • Contatos com clientes;
  • Comercialização de produtos e serviços do BB;
  • Conferência de relatórios e documentos;
  • Atualização/manutenção de dados em sistemas operacionais informatizados;
  • Atuação no caixa quando necessário.

*Foto: Divulgação

IBGE disponibilizará 234 mil vagas temporárias para Censo 2020

Governo federal autorizou o certame para contratação de profissionais pelo prazo de um ano, com início para janeiro do ano que vem

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) obteve aval do Ministério da Economia para convocar 234.416 pessoas para trabalharem no recenseamento da população do Brasil.

As atividades para o Censo 2020 começarão em janeiro do ano que vem. Os cargos serão disponibilizados em caráter temporário pelo período de um ano.

Suzana Guerra, atual presidente do órgão, derrubou a expectativa de contração de 300 mil profissionais. Em fevereiro ela já dizia em convocar mais de 240 mil candidatos.

O anúncio de autorização do concurso feito no início de maio dá o prazo de seis meses para que o IBGE divulgue as normas do processo seletivo. Porém, em nota, o órgão público deixa claro que os aprovados só tomarão posse dos cargos em janeiro de 2020 e “mediante disponibilidade de dotações orçamentárias específicas”.

PROCURADORIA FEDERAL DOS DIREITOS DO CIDADÃO

A Procuradoria que integra o Ministério Público Federal anunciou que pretende ouvir explicações do IBGE, no que diz respeito a querer enxugar 25% do orçamento para realização do Censo 2020. O MPF ressaltou que quer ter acesso aos documentos jurídicos e estudos que levaram a esta tomada de decisão.

O Ministério ainda destacou em ofício, que a redução de custos para o recenseamento do ano que vem pode causar uma interrupção na construção de séries históricas. Além disso, pode prejudicar a constituição de conhecimento, baseados em políticas públicas e exercício da cidadania.

RESTRIÇÕES ORÇAMENTÁRIAS

Desde 2018 que a dificuldade na realização do Censo 2020 já dava sinais, principalmente, ligada às restrições orçamentárias.

Segundo matéria realizada pelo jornal O Estado de S. Paulo, em agosto de 2018, o IBGE já pontuava a necessidade de obter recursos em 2019 de R$ 1 bilhão. O valor deveria ser liberado pelo Ministério do Planejamento e, conforme cálculo do Instituto, o custo total para preparação do Censo 2020 seria de R$ 3,4 bilhões.

REDUÇÃO DO QUESTIONÁRIO

No fim de abril, Suzana Guerra intensificou mais a previsão de redução dos 25% do orçamento. Para chegar a este percentual ela não descartou a possibilidade de haver menos perguntas no questionário. Todavia, a decisão não foi bem recebida por 250 profissionais do setor que protestaram contra a medida. Segundo eles, em uma reunião informal, Guerra afirmou que informações contidas na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios podem ser utilizados para suprir eventuais lacunas deixadas pelo Censo.

SINDICATO NACIONAL DOS SERVIDORES DO IBGE

No início de maio, o Sindicato Nacional dos Servidores do IBGE concvidou acadêmicos para discutir o assunto. A antropóloga e professora da UFRJ, Eugênia Motta, demonstrou preocupação pela redução do questionário. Ela disse que essa decisão pode transformar fazer com que pessoas que residem em regiões vulneráveis se tornem ainda mais invisíveis aos olhos do Brasil, que considera um país desigual.

Motta concluiu que é exatamente nessas áreas que as informações custam a chegar e por isso a necessidade de maior verba para sua realização. E só o papel da estatística pública é capaz de apresentar que existe este tipo de realidade no Brasil. A inexistência desses dados pode colocar essas populações em modo invisível, além de não serem inseridas como uma preocupação decorrente das políticas públicas.

*Foto: Divulgação

 Não haverá concurso público em 2020, segundo decisão do governo

De acordo com a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), entregue ao Congresso mês passado, não há previsão de realização de novos concursos para 2020.

O programa de governo que prevê orçamentos sempre em relação ao ano seguinte, afirma que por enquanto a prioridade é reduzir bastante o número de servidores públicos.

No início de abril, o ministro Paulo Guedes ainda afirmou que o governo estava cortando certames. Para ele: “acabou o empreguismo, não tem mais isso”.

DECISÃO DO CONGRESSO

O texto seguiu para o Congresso Nacional, onde será analisado pela Comissão Mista de Orçamento. A partir daí, um parecer será emitido, além de emendas vindas de parlamentares. Em seguida, o projeto tem prazo de votação até 17 de julho, realizada por deputados e senadores.

Pois, se passar desse tempo, o Congresso não poderá entrar em período de recesso. Após a decisão do Congresso, a medida será encaminhada para ser sancionada pelo presidente da República.

REAJUSTE DE SALÁRIO APENAS PARA MILITARES

A lei de diretrizes de 2020 não prevê também reajuste salarial para servidores públicos.

A LDO só contempla o acréscimo na folha de pagamento para militares, pois o reajuste consta no texto da reforma da Previdência das Forças Armadas.

Segundo o secretário de Orçamento Federal, George Soares, a LDO permite reestruturação aos militares e nada diz aos demais servidores.

Em 2019, de acordo com dados do Ministério da Economia, os gastos com pagamento de pessoal atingirá R$ 326, 2 bilhões. Isso equivale a 4,46% do PIB nacional. Já os custos para o ano que vem podem chegar a R$ 338,1 bilhões, ou seja, 4,29% do PIB.

*Foto: Divulgação

Sabesp oferece 947 vagas de estágio em processo seletivo

Inscrições começaram no dia 13 e as oportunidades são para diversas áreas da empresa

A Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) abriu processo seletivo para o preenchimento de 947 cargos.

As oportunidades de estágio são para diversos departamentos. Os candidatos devem possuir nível médio, médio técnico e superior para poderem participar do certame.

Vencimentos e Postos

Os candidatos de ensino médio receberão bolsa-auxílio no valor de R$ 812. Ao todo, serão 407 cargos, sendo 109 para a cidade de São Paulo, no período da manhã (a partir das 7 horas) e no período vespertino 101, entrando às 12 horas. As outras 197 vagas são destinadas a várias regiões dentro do estado.

Os interessados nos cargos de nível médio técnico e superior, as ofertas também valem para todo o estado de São Paulo.

O médio técnico se divide em algumas opções de categorias e número de vagas para: administração (38), edificações (14), eletrônica (1), eletrotécnica (4), enfermagem do trabalho (1), informática (29), mecânica (10), química (15), saneamento (1), secretariado (4) e segurança do trabalho (5). O salário para este tipo de estágio é de R$ 898.

Para nível superior a bolsa-auxílio é de R$ 1.068 e as vagas compreendem as áreas de: administração (174), análise e desenvolvimento de sistemas (5), ciências biológicas (4), ciências contábeis (10), ciências da computação (6), ciências econômicas (4), comunicação social – fotografia (2), comunicação social – jornalismo (23), comunicação social – publicidade e propaganda (8), comunicação social – rádio e TV (4), comunicação social – relações públicas (8), design gráfico (8), direito (40), engenharia ambiental (9), engenharia cartográfica (2), engenharia civil (72), engenharia de produção (1), engenharia elétrica (3), engenharia mecânica (2), engenharia química (2), informática (10), propaganda e marketing (1), psicologia (2), química (13), secretariado executivo (1), sistemas da informação (3), tecnologia da informação (2), tecnologia de construção de edifícios (1), tecnologia em gestão empresarial ou processos gerenciais (2), tecnologia em hidráulica e saneamento ambiental (2) e tecnologia em obras hidráulicas (2).

Requisitos

Os interessados em participar do concurso devem possuir idade mínima de 16 anos. Os candidatos às vagas de estágio de nível médio e técnico devem estar matriculados no curso entre o primeiro e segundo anos. Quem está no nível médio técnico modular deve estar cursando o primeiro módulo. Já os de nível superior devem estar matriculados do primeiro ao penúltimo ano.

O estágio de todos os níveis será composto de seis horas diárias por período de até dois anos ou até o término do respectivo curso do candidato.

Inscrições e Provas

As inscrições vão até 6 de junho e só podem ser feitas via site da Fundação Carlos Chagas, banca organizadora do certame. No último dia de acesso, o interessado só poderá se inscrever até às 14h o acesso poderá ser feito somente até às 14 horas.

Será cobrado taxa de R$ 55 para os níveis médio e técnico. Para nível superior o valor de inscrição é de R$ 75.

No dia 30 de junho, pela manhã, será realizada a prova objetiva para todos os níveis. O exame será composto por 60 perguntas – dez de atualidades, dez de informática, 15 de matemática e raciocínio lógico, e 25 de língua portuguesa. Os candidatos terão prazo de 3h30 para responderem às questões.

*Foto: Divulgação/Sabesp

Prefeitura de Rio Verde (GO) oferece 404 vagas

Saiu mês passado o edital de convocação do concurso público que preencherá 404 vagas para prefeitura de Rio Verde (GO).

As inscrições para o certame começam em 3 de junho no site da Universidade de Rio Verde. A página dispõe de informações quanto ao prazo de inscrição e as taxas referentes a cada tipo de cargo oferecido.

As provas visam tanto a ocupações de 101 vagas imediatas como 303 oportunidades para cadastro de reserva. O processo seletivo tem cargos para nível médio/técnico e superior.

As vagas de nível médio/técnico abrangem as carreiras de: auxiliar de saúde bucal; motorista; técnico em análises clínicas; técnico em enfermagem; técnico em enfermagem plantonista; técnico em necropsia e técnico em prótese dentária.

Já para os de curso superior, as ocupações são para: analista de projetos; acupunturista; assistente social hospitalar; cirurgião dentista; cirurgião dentista para pessoas com deficiência; educador físico; enfermeiro; enfermeiro plantonista; especialista em regulação e vigilância sanitária; farmacêutico generalista; fisioterapeuta traumato-ortopédico; fonoaudiólogo neurofuncional; nutricionista; psicólogo em saúde mental; terapeuta ocupacional.

Para a carreira médica, são as seguintes vagas: dermatologista; medicina do trabalho; atenção primária; de família e comunidade; endocrinologista; infectologista; psiquiatra e radiologista.

SALÁRIO E JORNADA DE TRABALHO

O vencimento inicial de nível médio/ técnico é de R$ 1.396,31 e para nível superior é de R$ 10.047,17 mensais. A jornada de trabalho compreende entre 20 e 44 horas semanais a depender do cargo ocupado.

PROVAS E DIVULGAÇÃO DOS CLASSIFICADOS NO CONCURSO

Os locais de prova serão anunciados através do site oficial ou pelo edital do concurso de Rio Verde 2019. O dia da prova objetiva está marcada para 18 de agosto para todos os cargos. Além disso, será aplicada prova de redação somente para os cargos de nível médio/ técnico.

Entre os dias 17 e 20 de setembro, os candidatos classificados poderão apresentar sua documentação de Prova de Títulos. E no dia 10 de outubro, será anunciado a classificação final do certame.

ATRATIVOS NATURAIS DE RIO VERDE

Para quem é fora da cidade de Rio Verde, em Goiás, mas pensa em tentar a sorte, pode se decidir ao admirar as riquezas naturais que o local possui. O município é conhecido por ter sete lindas cachoeiras que atraem turistas de diversas regiões do país.

Entre as mais visitas, estão: Cachoeira do Rio Preto, com queda d’água de 70 metros de altura; Cachoeira da Fama, no distrito de Riverlândia e Cachoeira da Pitanga, em Ouroana.

*Foto: Divulgação

TCE RJ autoriza concurso público para preenchimento de 40 vagas

Novo concurso será para o cargo de analista de controle externo, com remuneração inicial de R$ 10,3 mil.

Desde 2012, o TCE RJ (Tribunal de Contas do Rio de Janeiro) não realizava seleção para novas oportunidades.

O atual certame oferecerá 40 vagas e para concorrer é necessário possuir ensino superior em qual quer área de formação.

De acordo com dados do TCE RJ, a remuneração total de R$ 10,3 mil abrange: salário básico de R$ 4.446,08, bônus de controle externo de R$ 3.779,17, auxílio-saúde de R$ 726, auxílio-alimentação de R$ 1.064,80 e auxílio-transporte de R$ 314,60.

O órgão também oferece auxílio-educação de R$ 1.174 por dependente, com limite de até três dependentes.

O concurso que já possuía verba separada para ser realizado e comissão formada, só depende agora da escolha da entidade que será a banca organizadora.

A partir disso, o próximo passo será a divulgação do edital do certame com data, período de inscrições, conteúdo do que vai cair na prova e os locais de realização do exame.

Das atribuições do cargo de analista, a função inclui as áreas de controle externo e organizacional. Em relação à primeira área, o candidato deve ter experiência mínima de dois anos no setor.

O TCE RJ ressalta que as oportunidades oferecidas surgiram da necessidade de recuperação fiscal do estado.

Para quem não sabe, o estado proibiu a realização de concursos públicos, com exceção dos que forem para preenchimento de vagas que a passaram a existir a partir de setembro de 2018, período em que este regime entrou em vigor.

Informações do último concurso

O último certame ocorreu em 2012, com a realização de provas para 100 vagas. As funções disponibilizadas foram: administração em saúde; ciências contábeis; controle externo; direito; engenharia civil; organizacional; pedagogia e tecnologia da informação.

A banca responsável pela seleção foi a Fundação Escola Superior do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (Femperj).

O exame contou com 100 questões, divididas em 40 para conhecimentos básicos, que incluiu também a parte de conhecimentos gerais com perguntas sobre língua portuguesa, direito e legislação básica aplicável ao TCE/RJ, além de 60 de conhecimentos específicos do cargo.

*Foto: Divulgação

Município de Tramandaí RS oferece 49 vagas em concurso

As vagas são para a prefeitura da cidade de Tramandaí, no estado do Rio Grande do Sul, com cargos para agente comunitário de saúde.

As inscrições serão encerradas em 29 de março de 2019.

A função exige que o candidato possua diploma de conclusão de curso do ensino médio, além de residir na área de localização do concurso.

Com jornada de trabalho semanal de 40 horas, o cargo oferecerá salário inicial de R$ 1.122,74 e bônus de auxílio-alimentação na importância de R$ 480.

Atribuições da vaga

O agente comunitário de saúde vai desenvolver e executar atividades de prevenção de doenças e de promoção da saúde.

Todo o conteúdo de seu trabalho é versado no programa de Educação Popular em Saúde.

O agente poderá tanto visitar os usuários do SUS como convidá-los a integrarem atividades coletivas, como um multirão de saúde. Tudo baseado nas diretrizes criadas pelo SUS.

O SUS também é responsável por dar assistência básica em saúde, dar suporte à prevenção e ampliar o acesso da comunidade assistida às ações e aos serviços de informação, tudo isso sob supervisão de um gestor municipal.

O agente comunitário também irá se inteirar sobre as práticas político-pedagógicas.

Elas decorrem dos conhecimentos adquiridos através do programa “Educação Popular em Saúde”, que visam a promoção, a proteção e a recuperação da saúde.

Por consequência, estimulam o autocuidado, previnem doenças e promovem a saúde individual e coletiva do paciente.

Ainda criam um diálogo sobre a diversidade de saberes culturais, sociais e científicos.

Com isso, aumenta-se o vínculo entre os trabalhadores do SUS com os usuários que dependem dela exclusivamente por não possuírem convênio médico.

Etapas do concurso

As inscrições podem ser feitas mediante taxa de R$ 70, através do site da Objetiva Concursos, organizadora da seleção.

O certame será realizado em duas fases: prova objetiva e análise de títulos.

A prova objetiva está marcada para o dia 28 de abril de 2019.

Os candidatos deverão estudar as seguintes matérias que cairão no exame: português, matemática, legislação, conhecimentos gerais e conhecimentos específicos da área de saúde.

*Foto: Divulgação

O que esperar com a suspensão dos concursos federais em 2019?

Apesar da declaração dada por Paulo Uebel, secretário de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, sobre a não autorização dos próximos concursos federais no decorrer deste ano, não deve causar tanta polêmica entre os candidatos que têm o sonho de ingressar no funcionalismo público.

Especialistas da área de concursos dizem que estas práticas de suspensão já são clássicas no meio. Elas costumam ser levantadas em meios de crise política e econômica do país ou ainda em circunstâncias de mudanças de governo.

O importante agora é manter o foco nos estudos, pois as suspensões tendem a ser momentâneas. Quando este período termina é comum que até tenha um acréscimo no número de vagas, pois as necessidades só vão aumentando durante a interrupção dos concursos.

Não é de hoje que essa sensação alarmante acontece. Em 2015, ainda no governo de Dilma Roussef foi divulgada uma interrupção de provas no âmbito federal.

O impedimento gerou corte de cerca de 40 mil vagas previstas para serem preenchidas no ano seguinte. Apesar do pânico gerado, naquele mesmo ano foi realizado concurso do INSS.

E ainda no final de 2015 foi liberado edital de prova para o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com oferta de 600 vagas, para técnicos e analistas.

Já em 2011, a suspensão dos concursos se manteve somente no primeiro semestre, sendo gradualmente retomados a partir do segundo semestre.

Orçamento 2019

Mesmo com a suspensão “momentânea” de concursos federais para este ano, na intenção de confirmar reais necessidades para determinados cargos, além de redução de despesas, o governo federal já possui recursos suficientes para nova contratação de pessoal no decorrer de 2019.

Desse modo, com o orçamento já aprovado e recursos reservados, a esperança é que assim como já aconteceu em outros governos, a nova suspensão de concursos seja apenas uma medida passageira.  E também, de acordo com os especialistas, que sirva de incentivo aos candidatos continuarem seus estudos, pois é inevitável que mais cedo ou mais tarde haverá novas contratações.

*Foto: Reprodução / Flickr – Senado Federal

PL veta concursos unicamente para cadastro reserva de pessoal

Segundo a proposta apresentada pelo deputado Pompeo de Mattos (PDT/RS), este tipo de seleção causa frustração e despesas desnecessárias aos candidatos, sem que haja nenhuma obrigação, por parte do órgão, de convocar os aprovados

Tramita na Câmara dos Deputados, o projeto de lei 939/2019, do deputado Pompeo de Mattos (PDT/RS) com a intenção de impedir a concretização de concursos públicos apenas para formar cadastro reserva de pessoal. A proposta deve ser encaminhada para análise antes de ser votada no plenário da respectiva ordem.

O projeto alteraria a lei 8.112, de dezembro de 1990, que diz em seu artigo 1º: “fica vedada em todas as esferas da administração pública a realização de concursos públicos de provas ou de provas e títulos que tenham a exclusiva finalidade de gerar cadastro reserva”.

De acordo com a justificativa do PL, o STF (Supremo Tribunal Federal) diz que uma vez publicado o edital com número específico de vagas, o ato da administração que declara os candidatos aprovados no concurso cria um dever de nomeação para a própria administração, ou seja, um direito à nomeação pelo candidato.

Porém, ainda de acordo com o texto, em relação aos editais que predizem “formação de cadastro”, o entendimento é que não existe direito subjetivo à nomeação.

Segundo o texto, tal interpretação dos fatos levou várias instâncias a preferirem adotar a realização de concursos que não anunciem exatamente o número de vagas necessárias, gerando assim apenas um cadastro, que poderá ou não ser utilizado.

Esta condição, de acordo com a proposta, além de frustrar esperanças, causam danos financeiros para os concorrentes, o que explica a proibição deste tipo de concurso.

*Foto: Reprodução / Flickr – Fotos GOVBA